• Joana Pinheiro

FERRO BAIXO – principais causas

Atualizado: Set 29



Deficiência de ferro não se trata só com ferro, mesmo quando existem níveis baixos de ferro e ferritina. É importante que saiba que muitas vezes a causa dos níveis baixos de ferro e de ferritina não são só por falta de ferro.


Aspetos que interferem:

- pode haver CARÊNCIAS NUTRICIONAIS relacionadas com a transformação, absorção e transporte do ferro, como o complexo B, vitamina A, C, Zinco e cobre

- se houver uma MÁ SAÚDE INTESTINAL pode haver níveis baixos de ferro e de ferritina, pois a absorção de nutrientes fica comprometida. Por exemplo pessoas com hipocloridria (diminuição da produção de ácido clorídrico no estômago) que utilizaram por muito tempo protetores gástricos ou pessoas com disbiose intestinal (desequilíbrio da flora intestinal) têm maior risco de ter estes valores alterados;

- mulheres com FLUXO MENSTRUAL EXCESSIVO;

- as pessoas OBESAS ou com PROCESSOS INFLAMATÓRIOS;

- pessoas com DISFUNÇÃO DA TIRÓIDE.


Dessa forma, para corrigir uma deficiência de ferro ou de ferritina nem sempre a solução passa por suplementar com ferro de forma isolada. Pode ser necessário atuar sobre outras vias e corrigir eventuais disfunções.


Para complicar mais o esquema, a forma de ferro que está a ser suplementada é igualmente importante. Por exemplo o sulfato ferroso é uma opção mais barata mas tem baixa biodisponibilidade, para além de favorecer o crescimento de bactérias gram negativas no microbioma/intestino (a evitar).

Também é muito comum observar que pacientes que tomam doses elevadas de ferro por via oral sentem sintomas gastrointestinais indesejáveis como cólicas, dores abdominais, obstipação e flatulência. Hoje, sabemos que estes efeitos colaterais são sintomas de uma disbiose intestinal, provocada pelo excesso de ferro (este mineral tem uma taxa de absorção limitada no intestino delgado de no máximo 30%). Quando há a reposição de doses altas, o que não é absorvido é direcionado ao cólon, podendo levas uma alteração da flora intestinal por potenciar o crescimento de determinadas bactérias menos desejáveis e diminuir bactérias probióticas como as bifidobactérias.


Se tem dificuldade em corrigir os níveis de ferro ou ferritina, procure uma nutricionista com visão integrativa.

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo